Soluções em Vidro

A Vilabo tem sede na Marinha Grande, considerada a “Capital do Vidro” pelas suas ligações profundas à indústria vidreira. Não sendo consensual a origem do vidro, estima-se que a sua origem tenha ocorrido há 5000 anos, tendo sido utilizado permanentemente desde o antigo Egipto.

O vidro é um produto inorgênico de fusão que se solidifica sem cristalizar. Os componentes típicos do vidro são o sílico, normalmente na forma de dióxido de sílico (SiO2), óxido de boro (B2O3), óxido de fósforo (P2O3) e óxido de alumínio (Al2O3). Estas substâncias são capazes de absorver determinadas quantidades de óxidos de metal sem perder as suas características vítreas. Isto significa que os óxidos incorporados não participam como formadores.

 

Desde 1940

A história da Vilabo começa nos anos quarenta do século passado, no pós Segunda Guerra Mundial. A automatização chega à produção de vidro numa altura em que as indústrias assimilam os processos de fabrico desenvolvidos durante o conflito.

Na Marinha Grande, a “Capital do Vidro”, José Augusto Carolino funda a empresa em nome próprio. Em 1975, o empresário consolida a sua posição no mercado, quando o filho Edmundo Carolino regista a sociedade por quotas Vilabo e cria a marca de produto Linex.

 

Indústria Farmacêutica, Biotecnologia e Investigação

Em 1997, a empresa inicia com êxito de certificação de qualidade. Seguem-se sucessivas actualizações até que, em 2005, é feita uma restruturação profunda nos principais sectores da empresa.

Com mais de sessenta anos de experiência, a Vilabo actua nos mercados emergentes das indústrias farmacêutica, biotecnológica e de investigação. Dispõe ainda de um serviço exclusivo que, sob consulta, desenvolve e produz soluções específicas em vidro.